terça-feira, 2 de novembro de 2010

Um passeio pra virar post

Assim como uma quarta-feira pode começar despretensiosa e terminar bem, um domingo planejado pode acabar não atendendo as expectativas...

Entre tantos lugares que gostaria de conhecer em Bogotá, um deles era o Parque Simón Bolivar, o maior da cidade. Como no sábado nosso passeio de Transmilenio deu certo, resolvemos repetir a dose e ir ao parque também de ônibus. Olhando nos mapinhas dos guias que temos achamos relativamente fácil chegar lá. Sabia que a distância entre a estação e o centro do parque era longe, mas caminhando por dentro do parque era a oportunidade de ir conhecendo.

Ao desembarcar na estação, que tem por nome Simón Bolivar, olhei para os lados e não vi o menor sinal do parque. Atravessamos a passarela e vimos umas graminhas, bom sinal, o parque deveria terminar ali. Só que a alegria repentina durou pouco. A graminha era cercada. Caminhamos por uma longa rua, que não parecia muito convidativa. Fomos caminhando ao redor daquela cerca até chegar na entrada no Parque de los Novios. Entramos por alí, achei que poderia ter uma passagem para o parque Bolivar indo por dentro. Mais um erro da minha parte… além de não fazer divisa com o lugar onde queríamos chegar, estava longe.

Passamos ao lado do centro de atividades aquáticas, pela Calle 63, chegamos até uma rótula e aí sim avistamos a entrada do parque. Nos mapas que consultamos tudo isso estava descrito, porém todos pareciam ser dentro do parque, e não ao redor. Já estávamos caminhando a uns 30min fiquei feliz ao ver a entrada do parque, mas estava cansada.

Portal de entrada do Parque Simón Bolivar

E o parque tem: árvores, grama, um lago e muita gente fazendo atividade física. Ual!

Tudo bem, eu sabia que num parque encontraria exatamente isso, mas estava cansada e não consegui me animar com toda a beleza natural... Nem uma bandeira da Colômbia eu encontrei pra tirar uma foto do Isac com a camisa do Avaí e mandar pro Cacau Menezes hahahahaha.

"Olha a chuuuuva!!!" E não foi mentira


Como se não tivesse ruim o suficiente a chuva, de todos os dias, resolveu se antecipar. Não levei a sombrinha, na bolsa tinha espaço ou pra câmera, ou pra sombrinha... Pegamos todo o toró no meio do parque. Ficamos em baixo de uma estrutura, que quando está funcionando, é uma cascata.

Foi ali embaixo que ficamos, nós e outros refugiados do dilúvio

Isac e os demais abrigados da chuvarada


Depois de meia-hora parados esperando a chuva passar eu definitivamente não estava muito contente com o passeio... quando o aguacero diminuiu fomos procurar um ponto de ônibus, desta vez de uma buseta, e assim voltar pra casa. Caminhamos mais uns 15min e finalmente estávamos voltando pra um lugar seco.

Parque Simón Bolivar, nós descemos onde começa o roxo, caminhamos tudo isso. O trajeto em azul foi a volta, depois da chuva. Tudo feito lindamente no poderoso Paint!!

O passeio não foi um total desastre pq consegui dar umas balinhas, que tinha na bolsa, pra uma niña vestida de gueixa, bem linda!! Afinal, era domingo de Halloween e as crianças já estavam pela rua em busca de doces.

Chegando em casa, aproveitamos a tarde para dormir e assim terminou um dos domingos que serviram só pra ganhar experiência... as lições que aprendi foram:
  •    Nunca menospreze as distâncias em um mapa, se a área parece grande, ela é grande;
  •    Numa cidade, onde chove todo dia, o guarda-chuva é sempre indispensável;
  •    Quando você vai conhecer um parque, não crie expectativas de encontrar algo que não seja natureza;
  •    E, por fim, mas não menos importante, depois de uma passeio cansativo, descanse, e tudo melhora, até vira um post ;)


2 comentários:

belisam disse...

Quando eu me mudei pra cá, o google maps e sites do gênero era meus melhores amigos, SEMPRE consultava antes de sair. Esse lance de monosprezar as distancias é realmente verdade. "Mas era tão pertinho" haha. E olha que aqui em Buenos Aires tem metro, o que relativamente adianta muito a vida, mas sempre lotado!

Pra gente, que vivia em uma "pequena capital" realmente se espanta... é muita gente! Afinal, estamos na capital do país!

Estou adorando acompanhar as aventuras de vocês! Beijo grande, Belisa

Ana Paula Gonçalves disse...

Belisa! Fiquei feliz com o comentário! Descobri quem é minha leitora da Argentina!!!

Ahahaha, eu esqueço, frequentemente, que estou na capital no país... sair do mundo ovo que é Floripa e cair numa verdadeira cidade grande é, no mínimo, desafiador.

Comente mais vezes!!

Besos!