terça-feira, 2 de novembro de 2010

Alternativa de locomoção e a merecida cama


Bogotá é uma cidade, assim como toda cidade grande, com um trânsito caótico. Acho que só nas madrugadas não têm congestionamento, trancón, como dizem aqui. São muitos táxis, busetas, carros particulares, bicicletas, pedestres... muita gente. Os motoristas quase não usam seta pra indicar onde estão indo, quem domina são as buzinas, já pegamos dois táxis diferentes que deu vontade de pedir pra descer antes, de tão irritante que foi o trajeto, eles não paravam de buzinar.

Uma opção para fugir das filas e da loucura é o Transmilenio. São ônibus articulados que circulam em vias exclusivas e funcionam como os metrôs. São diversas linhas que atendem a maioria dos bairros da cidade. Cada linha vai para um destino e é possível fazer baldeações nas estações. A passagem custa $1.600 (mil e seiscentos pesos, R$1,60) e é possível andar muitos quilômetros por este valor bem acessível.  Este sistema de transporte público foi inspirado no serviço que é oferecido em Curitiba, capital paranaense.

Sábado foi nossa vez de andar de Transmilenio. O Isac fez um estudo detalhado das rotas, anotou quais linhas deveríamos pegar, em quais estações descer e fomos. Escolhemos um final de semana pq nos dias de semana deve ser uma missão bem complicada, aqueles ônibus devem andar socados...

Quadro com as linhas e paradas

Moramos na carreira 4, os ônibus circulam pela 14, precisamos andar dez ruas até chegar nele, dá umas cinco quadras, mas valeu a pena, já que o lugar onde fomos é ao lado de uma das estações.

Entrada da estação Calle 63

O ônibus para na plataforma, fechada por uma porta de vidro, onde os passageiros embarcam e desembarcam

Cada porta tem a identificação da linha do ônibus. Nessa porta: B1, C4 e D3

Dentro do ônibus, escuro pq já estavámos voltando pra casa


Nosso programa de sábado foi passear pela Homecenter. Uma loja beeeem grande, uma mistura de Cassol com Millium. Tem móveis, utensílios para cozinha, luminárias, ferragens, roupa de cama, artigos de camping, decoração de natal, enfim, muita coisa.

Homecenter, vista da passarela por onde saímos do Transmilenio

Fomos em busca de um microondas, mas compramos uma cama. Entre dormir com dois colchões de solteiros (diferentes) no chão e continuar tirando carne pro almoço na noite anterior, prefiro a segunda opção.
Primeiro procuramos por uma cama, aí fomos olhar os colchões. A marca Spring vende alguns modelos de colchão com uma base de madeira, isso facilita pq nao precisamos comprar uma cama. A compra foi feita por volta das 17h30, às 20h30 a cama já estava entregue. 

O colchão e a base de madeira, fica da altura de uma cama normal

E, com isso, nossa vida por aqui vai parecendo mais normal... menos acampamento de férias, que estava parecendo com a cama no chão...

2 comentários:

Clau disse...

Primaaa q cama máx fofa! Parece de japonês né. Me conta pelo email como são os preços das coisinhas aí. BeijooOOooOO

Clau disse...

Eu disse q parece de japonês por causa da base de madira. Resolvi explicar pq o blog é bem lido né...hihihi. +bjoo