segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Fim das mini-férias

Depois dos 15 dias mais corridos, e bem aproveitados, da minha vida estou de volta a Bogotá. Essas duas semanas foram de muitas comemorações, risadas, encontros e o eterno sentimento de que em Floripa eu sou 100%. Não que na Colômbia eu não seja feliz, mas é todo aquele cenário que me completa.

Mas também senti falta de coisas da minha vida bogotana, coisas bobas como água quente nas torneiras e o chuveiro à gás, que tanto detestava por esquentar demais a água, fiquei querendo ter ele na minha casa brasileira. Senti saudade também de pagar pouco pela passagem de ônibus. Em Bogotá pagamos no máximo $1.700, no caso do TransMilenio, da minha casa até o Centro de Floripa o ônibus está custando mais que o dobro R$3,80.

O voo de ida foi bem ruim, estava muito gripada e não consegui dormir nem por 30 minutos. Passei a viagem toda assoando o nariz, espirrando e me sentindo mal. O pior momento foi a aterrisagem, quando pensei que meus tímpanos iam estourar. Já a volta foi bem melhor, dormi praticamente o tempo todo, afinal estava acordada há quase 24 horas por causa do dia anterior de festa.

Do avião até a imigração os passageiros caminham por um longo corredor, que apresenta uma série de propagandas da empresa de telefonia Comcel com as bandeiras de diversos países reformuladas com as cores da bandeira colombiana e escritas no idioma dos países que representam. Gostei bastante!

Propaganda de boas vindas

Dessa vez trouxe além da mala uma caixa com o meu multiprocessador, o super útil master kitchen revolution, que estava fazendo muita falta na cozinha. Eu sempre fico muito tensa esperando ao lado da esteira, o terrível sentimento de não ver minha mala chegar sempre toma conta de mim, e como estava sem a nota fiscal do aparelho só pedia para Deus permitir que minha caixa chegasse sem maiores complicações. E para minha felicidade foi isso que aconteceu. 

Hoje foi dia de desfazer a mala, organizar as coisas e curtir uma preguicinha... Essa semana vai ser de encontrar as amigas em Bogotá, entregar as encomendinhas e atualizar a conversa. Para a família e os amigos deixo uma frase, que a gente deve usar quando estiver com muita saudade: "Se a vida estiver sem graça, dá uma rebolada que o açucar está no fundo" hahahahahaha, minha irmã falou isso ontem, para mim a melhor frase do ano!!! 

Agora é contar os dias para a chegada da Dinha, dia 2 de novembro. Vida de expatriado é assim, calendário na mão e contagem regressiva sempre!

4 comentários:

Cláudia disse...

Primaaaaa, melhor fraseee! Amei! A Dessa está de parabéns! Reproduzi a frase para os meus contatos on line do trabalho, todos adoraram. Bom retorno a Bogotópolis e boa diversão com o master-kitchen-super-power-mega-ultra-revolution. Bjo!

Déa Tani disse...

hahaha bom ter vc de volta!!!

Mike disse...

Adorei essa foto da bandeira e tenho que confessar tb senti uma falta danada da água quente na pia e do meu choveiro escaldante rsrsrs + me acustumava de novo... entao já tá na contagem pra receber visita que coisa boa as minhas só chegam em dezembro e fevereiro... vamos lá seguir contando :)

Claudia Roennau disse...

siiiiiiiiiiimmmm..... falta bem pouco... as mini ferias... foram demais.... todasque vc aqui sempre... :D

beijos beijos beijos 28 dias contando...